Tintas mágicas vodu: receitas para fortalecer seus feitiços

por Alan Basilio
77 visualizações
Tinta Mágica

Muitos feitiços e rituais requerem o uso de algum tipo de tinta mágica especial para escrever em pergaminhos e afins. As primeiras variedades existentes incluíam a tinta egípcia, composta de vários corantes naturais à base de metais, a casca ou a cobertura externa de feijões e sementes, além de criaturas marinhas como o choco (conhecido como sépia). A tinta indiana é preta e originária da Ásia. A tinta ferrogálica foi usada por muitos dos antigos mestres do desenho. As primeiras civilizações desenvolveram muitas cores de tinta a partir de frutas, plantas e minerais. Escribas na Europa medieval (cerca de 800 a 1500 dC) escreviam em pergaminhos de pele de carneiro.

Uma receita de tinta do século XII pedia que os galhos de um espinheiro fossem cortados na primavera e postos para secar. Então a casca era removida dos galhos e embebida em água por oito dias. A água era fervida até engrossar e ficar escura. Era adicionado um pouco de vinho durante a fervura. A tintura então podia ser derramada em sacos especiais e pendurada ao sol. Depois de seca, a tintura era misturada com vinho e sulfato de ferro ao fogo para preparar a tinta final. Aproximadamente 5000 anos atrás, uma tinta para contornar as superfícies em alto relevo de figuras e textos esculpidos em pedra foi desenvolvida na China. Essa tinta ancestral era uma mistura de fuligem da fumaça de pinheiro, óleo de lamparina, gelatina de peles de animais e almíscar.

A caneta mágica

Como alternativa, ao invés de preparar suas próprias tintas mágicas, você pode pegar uma caneta comum na cor desejada e consagrá-la. Aqui está um ritual que foi adaptado da Clavícula de Salomão, que consagrará sua caneta para uso ritual.

Segurando a caneta na sua frente, diga o seguinte:

ADRAI, HAHLII, TAMAH, TILONAS, ATHAMAS, ZIANOR, ADONAI, remova desta caneta todos os enganos e erros, para que ela possa ter a virtude e a eficácia de escrever tudo o que desejo. Amém.

Agora, você deve defumar a caneta com um incenso aromático (como sândalo ou olíbano), borrifá-la com água consagrada e guardá-la em um tecido de seda de qualquer cor, exceto preto ou cinza.

Para aqueles que preferem preparar suas próprias tintas, listarei abaixo receitas contemporâneas para três tintas populares.

Tinta de “sangue de morcego”

Misture tudo e guarde em um frasco de vidro âmbar (para preservar melhor os aromas). Use como tinta para escrever feitiços diversos.

Tinta de “sangue de pomba”

Misture tudo e guarde em um frasco de vidro âmbar. Use para escrever feitiços de amor e desenhar talismãs de amor.

Tinta de “sangue de dragão”

O sangue de dragão refere-se à resina de goma vermelha brilhante do dragoeiro (Dracaena draco), uma árvore considerada sagrada pelos povos guanches de Tenerife. A resina vermelha era usada nos tempos antigos como verniz, remédio, incenso e corante. Era usada em rituais medievais de magia e alquimia. Continua sendo empregada para os fins mencionados por algumas pessoas. No Hoodoo e no Vodu de Nova Orleans, ela é usada em saquinhos mojo para trazer dinheiro ou trazer amor, e é usada como incenso para limpar um local de entidades ou influências negativas. Também é adicionada à tinta vermelha para fazer “Tinta de Sangue de Dragão”, que é usada para inscrever selos e talismãs mágicos. Para fazer sua própria Tinta de Sangue de Dragão, você precisará de:

Misture tudo e use para escrever talismãs de sorte ou proteção.

Fonte: Denise Alvarado – The Voodoo Hoodoo Spellbook

Comentários

veja também

FAÇA PARTE DO NOSSO COVEN ONLINE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER
Receba dicas e receitas por email.
INSCREVER
*Não enviaremos spam. Apenas magia.
close-link
error: Conteúdo protegido.