Fraternitas Saturni – a sociedade secreta que inspirou o movimento New Age

por Frater Ozymandias
1792 visualizações

Figuras encapuzadas e envoltas em roupas de seda negra desaparecem através de portas vigiadas, e guardas armados com espadas garantem que nenhum intruso irá adentrar ali. Hoje à noite, um ritual será realizado na Loja da Fraternitas Saturni, uma das mais antigas ordens ocultas da Alemanha – e o que acontece por trás de suas portas é um segredo.

Um ar de silêncio solene permeia o espaço, enquanto os membros se preparam para o ritual na antecâmara e os iniciados encontram seus lugares demarcados na sala principal da loja. As velas são acesas quando os aprendizes começam a se reunir no lado esquerdo da sala. Os mestres podem ser encontrados à direita, e o Mestre da Cadeira reivindica o espaço atrás do altar na frente. Uma vez que todos os membros se reuniram no átrio principal, eles formam uma cadeia mágica de irmandade, realizando um exercício de respiração rítmica enquanto se preparam para convocar a energia de Saturno. Um martelo bate na porta três vezes.

A loja está aberta!“, declara o Segundo Vigilante.

A música, possivelmente uma composição clássica da Flauta Mágica de Mozart , toca quando o Primeiro Vigilante aborda os irmãos e irmãs da ordem, convidando-os a meditar antes que o incenso seja queimado por toda a sala.

O Mestre de Cerimônias começa a cantar:

“A serpente primitiva
O grande dragão
Que foi e que é
E quem vive através das eternidades
Ele está com o seu espírito!”

Três velas negras de Saturno são acesas, e o Mestre de Cerimônias usa um punhal mágico para traçar o sigilo do planeta – que se parece com dois Vs interseccionados divididos ao meio por uma linha reta – três vezes no ar para iniciar o trabalho mágico. A sala se enche de sons de cânticos e de batidas constantes em um gongo, os irmãos e irmãs tomam seus lugares e começam a trabalhar para transmitir mentalmente a energia de Saturno àqueles membros que não estão fisicamente presentes.

Amor Impiedoso, a Lei de Saturno.

O ritual termina com a convocação do espírito do deus Thelêmico Hadit. A vela de Hadit, um símbolo de regeneração eterna, arde no altar enquanto os membros usam a luz da pequena chama para cultivar o poder interno. Juntos eles cantam: “Isso age em nossos espíritos! Isso age em nossos corações! Isso age em nossos atos! RA-HOOR-KHUIT!”

Era assim que eles abriam os trabalhos da loja nos primeiros dias – antes de Hitler, antes da guerra, antes da morte do fundador. Fundada em 1928, no final de um renascimento oculto que varreu a Europa no fim do século 19, a Fraternitas Saturni é hoje uma das mais antigas e mais reverenciadas lojas mágicas da Europa Central. Desde a sua fundação por Gregor A. Gregorius, ela se dedicou a invocar a energia escura de Saturno e honrar Lúcifer, a personificação da iluminação e da razão.

Banida pelos nazistas, dilacerada por conflitos internos após a morte de seu fundador e descartada como pouco mais que um culto sexual por seus detratores, sua influência pode ser sentida em todos os lugares. À medida que os floreios da espiritualidade da New Age são redefinidos para uma indústria de bem-estar de bilhões de dólares, esse misterioso grupo ocultista, que tanto fez para definir o misticismo do século 20, continua mais importante do que nunca.

***

No final do século XIX, a Segunda Revolução Industrial inaugurou uma rápida urbanização e o crescimento de indústrias como as ferrovias, o carvão e os têxteis. A Alemanha e os Estados Unidos finalmente alcançaram a Grã-Bretanha, tanto em termos de industrialização quanto na alienação que veio com a vida nas sociedades modernas. Foi nesse ambiente de mudança avassaladora que as doutrinas ocultas e pagãs criaram raízes.

Eles estavam frustrados com o mundo“, diz Eric Kurlander, professor da Universidade Stetson especializado em história alemã. “Em resposta, você tem um monte de pessoas instruídas e alguns cientistas, como William James, experimentando parapsicologia, espíritos e teosofia como formas de restaurar o encantamento em suas vidas cotidianas, porque a religião tradicional não estava mais funcionando.

A Fraternitas Saturni foi concebida a partir desta mistura mágica e mística. Em 1925, após a catastrófica Primeira Guerra Mundial, um grupo de magos se encontrou nas florestas escuras da Alemanha para discutir o destino da Lei de Thelema, que enfatiza o individualismo e convoca os seguidores a viver de acordo com sua própria Vontade Verdadeira. A Lei de Thelema foi desenvolvida pelo famoso ocultista Aleister Crowley, que também era uma figura importante na influente sociedade secreta Ordo Templi Orientis. A Conferência de Weida, como esta reunião na floresta veio a ser conhecida, foi organizada pelo líder da Loja Pansófica Alemã, Heinrich Tränker, como uma exploração da possibilidade de unir os múltiplos grupos ocultistas sob a liderança de Crowley, e estabelecer ou a aceitação ou rejeição da Lei de Thelema. O secretário da loja, Gregorius, um membro da comitiva de Crowley, estava lá para defender a linhagem de Crowley.

Eugen Grosche - Grão Mestre da Fraternitas Saturni
Eugen Grosche (Gregor Gregorius)

Nascido Eugen Grosche, Gregorius foi criado em Riesa, na Alemanha, por pais relativamente pobres. Seu interesse pela literatura inspirou uma mudança para Berlim, onde ele se tornou editor de revistas periódicas antes de abrir sua própria livraria. Considerado um narcisista por muitos historiadores, suas cartas pessoais iluminam um personagem mais nuançado, que é igualmente obcecado pelo poder e preocupado com questões humildes como família e amizade. Gregorius teve um interesse precoce no ocultismo, mas não estava diretamente envolvido nisso até conhecer Tränker, que também era um livreiro. Como secretário da Sociedade Teosófica, uma organização formada para promover o estudo do misticismo, Tränker deu a Gregorius à tarefa de construir uma Sociedade Pansófica em Berlim.

A Conferência de Weida não saiu como planejado. Como Crowley exigiu que cada participante o aceitasse como o “Salvador do Mundo”, os magos se viram discutindo até o entardecer. Durante um intervalo, Crowley fez um passeio incomum pela floresta, cumprimentando vários espíritos elementais naturais e almas de árvores, ou assim relatou Gregorius. No final, Tränker teve uma mudança de opinião e contestou as alegações de Crowley de liderança suprema, fazendo com que uma parte da Loja Pansófica se voltasse contra ele abertamente. Crowley deixou a Alemanha, e um grande cisma se formou entre essas duas sociedades mágicas, o que levou ao colapso da Loja Pansófica. Fora de suas cinzas, Gregorius formou a Fraternitas Saturni, uma sociedade mágica que aceitaria os ensinamentos de Crowley, mas não responderia a ele.

Aleister Crowley - fundador da Thelema
Aleister Crowley

Crowley traçou um caminho poderoso e controverso ao longo da história com sua personalidade teimosa e extravagante. Por mais que Gregorius admirasse seus ensinamentos, com seu desejo de permanecer independente do errático, Crowley não era uma pessoa comum. Gregorius estava convencido de que sua loja não responderia a ninguém. Esse desejo de independência estava alinhado com sua crença de que Saturno, “a mais alta inteligência planetária deste sistema solar”, não Crowley, era o líder espiritual supremo, e serviu como motivação para formar a irmandade Fraternitas Saturni.

Numa tarde de primavera de 1928, Gregorius sentou-se atrás de sua máquina de escrever esboçando uma carta para Crowley, escolhendo cuidadosamente suas palavras, caminhando por uma linha cuidadosa entre pedir apoio de seu mentor e fazer parecer que estava pedindo permissão. O complicado estilo de prosa comum aos ocultistas daqueles tempos, que pode ser interpretado como algo sem sentido para os não iniciados, trabalhava a seu favor.

Estamos plenamente conscientes de que é um compromisso importante reviver a velha Loja de Saturno das Eras Medievais, que desapareceu (desconhecida, submersa) desde séculos passados. Nós também sabemos que – em um caminho íngreme, através de provações difíceis – teremos que enfrentar Saturno, o (guardião) do Limiar ”, escreveu ele, antes de chegar à parte difícil. “Agora pedimos a você, Mestre muito honrado, que nos empreste sua benevolência e nos deixe ter seu apoio espiritual.

Não há evidências de que Crowley tenha realmente respondido a esta carta, mas Gregorius afirmou ter recebido sua aprovação. No sábado de Páscoa de 1928, a loja Fraternitas Saturni foi inaugurada oficialmente, provavelmente usando um ritual semelhante ao descrito no início deste artigo, que foi tirado do livro The Fraternitas Saturni, de Stephen E. Flowers . Isso em breve mudaria o curso do ocultismo europeu.

A loja de Gregorius era uma mistura única da maçonaria escocesa, luciferianismo, mitologia astrológica e sistemas de yoga indianos, com ênfase no poder único que seus adeptos acreditavam que poderia ser extraído do lado escuro de Saturno. Usando como base a livraria de Gregorius em Berlim, os membros da loja experimentaram os efeitos mágicos dos campos eletromagnéticos e sonoros de alta freqüência – técnicas que usaram para desenvolver um instrumento conhecido como Tepafone, que eles acreditavam capaz de matar pessoas, quando movido por vontade mágica suficiente, a partir de uma grande distância.

Seus membros foram alguns dos primeiros europeus a se envolver em práticas que hoje são consideradas os princípios fundamentais da espiritualidade: meditação, astrologia, trabalho com os chakras. Mas o legado mais duradouro da loja tem sido a sua crença de que os benefícios da magia têm que ser conquistados através da aplicação rigorosa de características como autodisciplina e trabalho duro – o que hoje é conhecido como auto-ajuda.

O ponto é, o que você não gosta pode realmente ser muito importante para você“, diz um membro de longa data Ralph Tegtmeier. “Então, você tem que lidar com isso, porque se você não o fizer, isso continuará controlando você, quer você perceba ou não. Essa percepção é realmente o que representa a [Fraternitas Saturni] ”.

Essa percepção é também o que os membros da Fraternitas Saturni querem dizer quando falam sobre a Gnose de Saturno – a capacidade de atrair o poder de um planeta distante para se fortalecer frente às dificuldades da vida. É um “princípio rigoroso e severo”, nas palavras de Tegtmeier, e é o que manteve o grupo em atividade quando entrou em conflito com o Terceiro Reich.

Não é segredo que o partido nazista foi devotado ao ocultismo. O líder da SS Heinrich Himmler usou seu poder para criar uma religião destinada a rivalizar com o cristianismo, completa, com seus próprios rituais de casamento e uma mitologia baseada em uma miscelânea de mitos nórdicos e simbolismo pagão. Ele freqüentemente consultava seu astrólogo pessoal, Wilhelm Wulff, sobre estratégias de guerra, e fundou o Instituto Pendulum, que empregou astrólogos e radiestesistas em nome da marinha alemã para localizar navios inimigos no mar.

Aqueles ocultistas que conseguiram traçar o caminho para o círculo interno do Reich encontraram poder, dinheiro e respeitabilidade. Aqueles do lado de fora tinham uma escolha simples: colaborar, fugir ou morrer. Hitler baniu todas as organizações ocultas em 1937, e Gregorius fechou sua livraria e fugiu, primeiro para a Suíça, e depois para a pitoresca cidade lacustre de Cannero, na Itália. Em 1943, ele foi preso, repatriado para a Alemanha e mantido detido por um ano antes de ser libertado sem acusações, o que poderia significar que ele escolheu colaborar – ou que os nazistas simplesmente não viam o lado escuro de Saturno como uma ameaça a ser considerada. Quando a guerra terminou, Saturno estava esperando. Gregorius começou a reconstruir sua loja a partir do zero.

Atrasado pela ocupação soviética na Alemanha, foram necessários mais cinco anos para que a Fraternitas Saturni voltassem a ser oficialmente ativa. Assim que Gregorius retornou à Alemanha Ocidental, o grupo retomou sua publicação freqüente de documentos ocultos e formou pequenas lojas em muitas cidades alemãs, marcando um período de crescimento considerável.

* * *

A loja se reúne diante do altar, e os membros observam enquanto o Mestre da Cadeira convida uma mulher, a Sacerdotisa, a subir ao palco. Eles fazem sexo enquanto os outros membros assistem, esperando pelo momento crucial em que um galo negro vivo será morto, seu sangue será pego e espalhado sobre ambos.

Este é o Ritual do Pentalfa, uma cerimônia de magia sexual inspirada nos ensinamentos de Crowley, como descrito no livro de Flowers, que acompanha a história da Fraternitas Saturni desde a sua fundação até o final dos anos 1960. Embora os detalhes sejam obscenos, são precisos. O livro de Flowers não é exagero, mas sim um trabalho acadêmico baseado em documentos da Fraternitas Saturni vazados e informações captadas em entrevistas com membros do grupo, incluindo Tegtmeier. Ele descreve o grupo em uma encruzilhada entre o ocultismo vitoriano de uma era anterior e a espiritualidade discreta que se tornaria uma marca registrada dos anos 70. Os membros atuais são encorajados a tornar os rituais deles próprios únicos – substituindo sangue de galo por vinho, por exemplo – à medida que encontram seu próprio caminho para aproveitar o poder da Gnose de Saturno.

Sacrifício na Fraternitas Saturni

Nós temos um tipo diferente de afiliação [agora], porque as pessoas mudam”, diz Tegtmeier, que descreve a moderna Fraternitas Saturni como uma organização progressista, moldada para as necessidades de seus membros. “Há uma contribuição muito bem vinda do americanismo para a cultura internacional e global, do espírito ‘faça você mesmo’, que não existia na década de 1920.

Quase 100 anos depois de sua fundação, a Fraternitas Saturni permanece na vanguarda da espiritualidade oculta moderna. Ainda é uma organização distintamente européia (você tem que falar alemão para participar), mas suas influências são sentidas no trabalho de autores e pensadores ocultistas influentes em todo o mundo.

Apenas seis pessoas são membros publicamente conhecidos, o que dificulta o rastreamento de indivíduos particularmente poderosos, mas a Fraternitas Saturni tem funcionado como um rito de passagem para inúmeros ocultistas influentes. Alguns tiveram uma breve participação na loja antes de passar para outros grupos, enquanto outros simplesmente se engajaram em discussões ou disputas com os membros da Fraternitas Saturni. De qualquer forma, suas crenças e práticas se transformam em arte, literatura e conversação, para serem passadas para a próxima geração de criadores e infuenciadores ocultistas.

Você tem subculturas nos Estados Unidos que se dedicam à magia ritual, magia do caos, magia cerimonial e foram fortemente influenciadas pelo ressurgimento do ocultismo europeu”, diz Mitch Horowtiz, autor de Occult America , que acredita que a espiritualidade como existe hoje não seria possível sem a influência de grupos como a Fraternitas Saturni e o reavivamento oculto do século 19 que o precedeu. Tegtmeier acredita que a influência mais duradoura do grupo é sua ênfase em capacitar os membros a usar a energia de Saturno para o que só pode ser chamado de autoajuda.

“Entrar em contato com a gnose luciferiana ou de Saturno pode mudar a sua vida”, diz ele. “Foi assim comigo”.

E assim, a crença base de Gregorius no poder de Saturno, ao descobrir que a escuridão contém luz, continua a impactar vidas hoje.

“Quando o ego alcança o portão escuro de Saturno em seu desenvolvimento espiritual, é considerado maduro atravessar o limiar de realizações mais elevadas nas esferas por trás dele”, escreve ele. “Então Saturno, o guardião do limiar, o Senhor do Karma, abaixa a tocha da morte.”

Para saber mais sobre a Fraternitas Saturni


Esses e outros ensinamentos saturnianos podem ser conferidos em inglês no livro The Fraternitas Saturni. Veja o livro na Amazon, clicando aqui.
Artigo originalmente publicado em inglês por Haley Hay. Ilustrações por Micky Walls.

Comentários

veja também

FAÇA PARTE DO NOSSO COVEN ONLINE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER
Receba dicas e receitas por email.
INSCREVER
*Não enviaremos spam. Apenas magia.
close-link
error: Conteúdo protegido.